Guest post: Português e suas variantes

Sejam bem-vindos de volta a mais uma publicação convidada, queridos leitores!

Hoje, tenho o prazer de receber uma colega que divide a variante do português do outro lado do oceano, a portuguesa Tina Duarte.

Seja bem-vinda, Tina!

amigas_original

Imagem fornecida pela autora

De braço dado

Não me recordo exactamente que idade tinha quando peguei pela primeira vez num livro de Jorge Amado, que me condenou a uma paixão eterna por um universo de personagens tão ricas e com tantos matizes, e pela forma, ora doce, ora crua, como as palavras tão bem desenhavam a história, mas creio que teria uns treze anos. Nessa altura, já conhecia Jorge Amado de nome, lembrava-me vagamente da Gabriela e do Seu Nacib[1] na televisão e já me tinha deixado encantar pelo “português com açúcar[2]” das histórias infantis de um disco de vinil, que uma amiga da família tinha trazido do Brasil, e que eu ouvia sempre com muita atenção, sentada ao lado do gira-discos.

Cresci e aqueles livros e aquelas personagens abriram a porta a um mundo desconhecido, que me fez querer conhecer escritores, cantores, músicos e artistas brasileiros. Para além da perspectiva diferente que uma cultura distinta da nossa nos garante, havia sempre a possibilidade de apreciar a língua, a forma como do outro lado do Atlântico se desconstruíam e verbalizavam emoções, se descreviam situações e realidades. Este gosto muito particular, hoje aliado ao exercício da minha actividade como tradutora, prevalece e continuo atenta à evolução e às diferenças que estas duas variantes da língua apresentam.

A língua portuguesa levada ao Brasil, a países africanos e regiões asiáticas por conta da expansão do território de Portugal, durante os Descobrimentos, tem 273 milhões de falantes, é língua oficial de nove países e uma região administrativa especial, sendo o Brasil o que regista um maior número de habitantes, tornando assim incontornável o seu contributo para a divulgação e importância da língua ao longo dos anos.

Esta nossa língua regista diferenças significativas entre o Português que se fala em Portugal e o Português que se fala no Brasil, quer a nível de ortografia, fonética, semântica, sintaxe e morfologia. Na base dessas diferenças, coexistem as diferentes influências que a língua foi absorvendo de um lado e do outro. Assim, denotamos a existência de inúmeros vocábulos derivados da língua tupi e o predomínio exercido pelo inglês (por proximidade geográfica aos Estados Unidos) no Português do Brasil, ao passo que, do lado de cá do Atlântico, será mais forte a influência de outras línguas românicas. A compreensão entre falantes portugueses e brasileiros não é certamente impossível, mas a comunicação formal, pela sua formulação mais estática e convencionada, será sempre mais facilitada do que uma conversação entre um português e um brasileiro que habitualmente não tenham contacto com a outra variante da língua.

Considero que a ideia veiculada por algumas pessoas da possibilidade de existência de um Português Universal, e que seria até uma das justificações para o Acordo Ortográfico de 1990 por se tratar de uma forma de unificação da língua, está totalmente desadequada da realidade. Estamos perante duas variantes da língua muito diferentes e que não apresentam qualquer tendência a, de alguma forma, convergirem.

Penso com frequência em imagens que ilustrariam o que são actualmente o Português de Portugal e o Português do Brasil: a de um jardineiro que plantou duas sementes de árvores iguais, em terrenos diferentes e deixou que crescessem, espraiassem os seus ramos e criassem os seus frutos, todos diferentes e, no fundo, todos iguais. Ou a de uma mãe que deu o braço à sua filha, jovem adulta, e ajudou-a a sair da sua cidade e a instalar-se numa outra cidade do outro lado do rio. Têm personalidades diferentes, vivem as suas vidas, seguem e absorvem tendências distintas, amadurecem e, no entanto, o laço que as une é indestrutível e inegável.

[1] Gabriela foi a primeira novela a ser transmitida em Portugal, em 1977, três anos após a Revolução do 25 de Abril, que pôs fim a mais de 40 anos de ditadura em Portugal.

[2] Termo que o escritor português Eça de Queirós terá utilizado para designar o Português falado e escrito no Brasil.

Sobre a autora
cópia_foto_out2016AZd_0751 (4)Licenciada em Tradução, Tina Duarte trabalha como tradutora freelancer desde 2006. Sócia e membro da Direcção da APTRAD – Associação Portuguesa de Tradutores e Intérpretes. Trabalhou anteriormente na área da exportação, deu aulas de inglês a adultos e foi fundadora e dinamizadora de uma organização relacionada com a defesa do património natural e construído.

Advertisements

Dia da Língua Portuguesa

plan a surprisebirthday partyfor yourboyfriend-2

Surpresa! Estava eu procurando links para publicar nas redes sociais sobre o Dia da Língua Portuguesa e a língua portuguesa em geral, mas tem tanta coisa legal que resolvi juntar tudo em um só lugar. Embora eu estivesse adorando a ideia de encher a linha do tempo de vocês de links e não deixar ninguém trabalhar hoje… 🙂

Bom, quem curte a minha página do Facebook e/ou me segue no Twitter, já sabe que hoje é Dia da Língua Portuguesa. A data foi instituída pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) em 2009. Especificamente no Brasil, dia 5 de novembro foi a data instituída em 2006 pelo presidente Lula como Dia Nacional da Língua Portuguesa. A data foi escolhida por se tratar do dia de nascimento de Ruy Barbosa, estudioso da língua portuguesa no Brasil. Já em Portugal, a data comemorada nacionalmente é 10 de junho (instituída em 1981), em homenagem ao icônico poeta Camões. Para não confundir, há também o Dia Internacional da Língua Materna, comemorado em 21 de fevereiro.

O português tem sua origem no latim vulgar (falado). Atualmente, 250 milhões de pessoas têm o português como língua materna, segundo a ONU, divididas em 8 países (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, e Timor-Leste). Mais de 80% desses são brasileiros. É a quinta língua mais falada do planeta.

Hoje, minha comemoração será dando a primeira aula do módulo “Português para tradutores” do curso Tradução 360º do Netwire Learning Center. Além desse módulo, também darei uma oficina de português nos meses de setembro e outubro, também para o NLC. Mais informações em breve. Fiquem ligados! 😉

Caso vocês ainda não saibam, também dou dicas de português no Periscope todas as segundas-feiras, às 14h. Basta me seguir no Periscope (@Alberoni) e você será notificado quando eu estiver on-line.

Espero que gostem dos links que separei para vocês:

Revista Língua
Ora pois, uma língua bem brasileira
Quite the Brazilian language, I say
Reino Unido considera português um idioma com futuro
Blog “Português é legal”
Entrevista: CPLP e Dia da Língua Portuguesa e da Cultura
Porta, portão, porteira: conheça a rota do “caipirês” falado no Estado de São Paulo
Feliz Dia da Língua Portuguesa
Preconceito e a língua que falamos: linguística para leigos
Brazilian Portuguese Phrasebook
Language differences between English and Portuguese
Instituto Internacional da Língua Portuguesa
Bilingual post by Melissa Harkin on Facebook
Portal “Terminologia”

Feliz Dia da Língua Portuguesa! Lembrem-se: usem-na sem moderação, mas com sabedoria. 😉