Traduzindo por uma causa

Sejam bem-vindos de volta, queridos leitores!

Hoje temos mais uma tradução parte da parceria do blog com a UTFPR. A aluna tradutora deste mês é a Cristiane Slugovieski. E a tradução de hoje é da publicação da convidada Elis Portela, Translating for a cause.

picjumbo.com_IMG_3750

Fonte: Picjumbo, por Viktör Hanacek

Ser um bom tradutor é um trabalho árduo, mas é também um grande privilégio. Exige muito estudo, leitura, escrita, prática e aprendizado com os erros e com a experiência. Mas no fim, todo esse trabalho nos dá acesso a uma quantidade enorme de informações, além de uma base que nos permite conhecer mais sobre outras culturas. Somos leitores, pesquisadores e nos comunicamos incansavelmente, e sempre trabalhamos para entender o ponto de vista das outras pessoas, da melhor maneira possível, para compartilhá-lo com diferentes públicos. Mas depois de um tempo trabalhando diariamente com tradução, às vezes, não valorizamos esse acesso à informação e acabamos restringindo demais nossas habilidades quando, na verdade, poderiam ser utilizadas para conscientizar e ensinar as pessoas sobre assuntos importantes. Se prestarmos bastante atenção, podemos identificar muitas causas que valem a pena ser difundidas, mas que permanecem restritas a pequenas comunidades ou grupos devido a barreiras linguísticas. Sabemos que tanto a língua quanto as informações são ferramentas que podem ser utilizadas para dividir e privar pessoas ou, inversamente, uni-las ao redor de uma causa ou crença em comum.

Além de trabalhos remunerados, os tradutores podem escolher quais informações consideram importantes divulgar e ser voluntários para compartilhá-las. Podemos nos beneficiar muito trabalhando com assuntos que impactam a vida de outras pessoas e – por que não? – o mundo em que vivemos. No mínimo, nos beneficiamos por desenvolver a compreensão do leitor acerca de diferentes temas e comunidades. Existem muitas associações humanitárias e de caridade que dependem principalmente de doações, e não têm orçamento para tradução, precisando da nossa ajuda. (A propósito, uma distinção importante deve ser feita: como muitos profissionais, fico realmente chateada quando grandes empresas convocam voluntários ou utilizam crowdsourcing para traduzir seus materiais de graça. Não faz sentido tradutores qualificados trabalharem apenas para empresas lucrativas. Também fico chateada com grandes websites que recrutam alunos de cursos de inglês para “traduzirem” seus conteúdos de graça e acabam passando uma imagem ruim da nossa área. Mas essa é a minha opinião.)

Para vocês terem uma ideia, selecionei materiais de sites de algumas organizações que dependem de voluntários para serviços de tradução, para termos noção do que fazem e talvez nos inspirar a fazer algo:

  • No site The Rosetta Foundation (que se dedica a “aliviar a pobreza, apoiar o cuidado à saúde, desenvolver a educação e promover a justiça por meio do acesso igualitário a informação e ao conhecimento em todos os idiomas”), por exemplo, podemos ler depoimentos inspiradores de tradutores sobre trabalhos voluntários e projetos dos quais participam e com os quais se sentem orgulhosos. Vejamos o exemplo de um desses depoimentos:

Ações úteis e de grande ajuda no mundo devem ser ampliadas por meio da língua e não impedidas por ela. Organizações sem fins lucrativos fornecem serviços inestimáveis à sociedade e acredito que seja importante contribuir para esses esforços sempre que possível. Traduzir é uma contribuição modesta, mas pode fazer uma grande diferença.

  • No site Translators Without Borders, observamos a contagem de 15.868.825 palavras já traduzidas e doadas (no momento da elaboração deste artigo). Na página “About Us” está escrito:

Conhecimento é poder.  Conhecimento salva vidas, tira as pessoas da pobreza, garante mais saúde e nutrição, cria e mantém economias. O acesso a informação é fundamental. Barreiras linguísticas custam vidas. Grupos humanitários, que trabalham em situações de crise, encaram uma missão crucial para disseminar conhecimento na língua daqueles que precisam de informações.

O Global Voices pretende agregar, contextualizar e ampliar a comunicação global online – realçando locais e pessoas que outras mídias muitas vezes ignoram. Nós trabalhamos para desenvolver ferramentas, instituições e relações que possam contribuir para que todas as vozes, em todos os cantos, possam ser ouvidas.

O Global Voices Online criou o Projeto Lingua, que “busca ampliar as Vozes Globais em outros idiomas além do inglês, com a ajuda de tradutores voluntários”. Esses são apenas alguns exemplos nos quais podemos dedicar nosso tempo e conhecimento, mas há muitos outros. Cada um de nós pode encontrar uma causa com a qual se identifica e se envolver com ela!

Sobre a tradutora
Imagem1Cristiane Slugovieski estuda Licenciatura em Letras Português/ Inglês na UTFPR, onde também faz parte do TradLin, grupo de pesquisa e Estudos em Tradução. Reside em Curitiba-PR e pode ser encontrada no Facebook.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s