O perfil do tradutor contemporâneo

photo-1426024025799-8cf58f5df5a4

No dia 26 de fevereiro, o Centro de Idiomas Brasillis promoveu uma palestra online gratuita com a Sheyla Barretto, intérprete. Sheyla atualmente trabalha na Organização dos Estados Americanos (OEA) e já coordenou grandes eventos com a participação de importantes personalidades, como o atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O tema da palestra foi “O perfil do tradutor contemporâneo: o que mudou nos últimos 20 anos”.

Sheyla iniciou a palestra comparando como era trabalhar como tradutor há 20 anos, quando começou, com a prática atual. Segundo ela, antigamente, as traduções eram cobradas por lauda, não por palavra. Como a contagem de laudas não é tão simples, era mais difícil de o cliente entender como funcionava. Hoje, como a cobrança é por palavra e qualquer ferramenta facilmente oferece essa contagem, não há problemas quanto a esse aspecto.

No entanto, a ideia de que traduzir antigamente era mais difícil é relativa. Embora não houvesse tanta disponibilidade de recursos tecnológicos como há hoje, essa vasta opção de fontes também requer cuidado, pois é necessário filtrar as fontes confiáveis. Há uma grande velocidade na disseminação de informações e conhecimento. Além disso, hoje também é mais fácil alcançar o cliente, portanto, a concorrência também é maior. Isso requer muito mais do tradutor do que antigamente.

Alguns pontos no tempo:

  • 1995: a internet tem alcance global
  • 1996: 6,9% dos domicílios tem computador, segundo o IBGE (hoje, são 49%; desses, 28% têm internet)
  • Início do século 21 no Brasil: expansão das CATs (elas se tornam mais acessíveis)
  • 2005: a SDL compra a Trados e se torna a maior empresa de tecnologia da tradução
  • 2006: avanço das redes sociais
  • 2008: a SDL compra a Idiom
  • Hoje: surgimento de novas tecnologias, como o Skype, WhatsApp, Google Hangouts, Google Docs, Doodle Pools, SurveyMonkey, Shutterfly, etc.

As vantagens das redes sociais e das novas tecnologias são: compartilhamento de informações e dúvidas com colegas, grande apoio aos tradutores iniciantes (importante para moldar o tradutor do futuro), formação (temos até doutores na área).

Tradutor 24/7

  • Bom leitor, escritor e pesquisador
  • Formação, treinamento
  • Boas ferramentas de trabalho
  • Certificações
  • Filiações (visibilidade, credibilidade e networking)
  • Mais idiomas
  • Presença na internet (divulgação, visibilidade)
  • Atualização permanente

Capacidade de: adaptação, interação nas mídias sociais, organização, captação/manutenção de clientes, empresarial, exposição calculada, senso de coletividade, gestão de tempo eficaz (distrações x prioridades), follow-up (emissão de nota fiscal/invoice, feedback).

No entanto, o excesso de atividades, e a impossibilidade de onipresença e onisciência do tradutor 24/7 geram insegurança e frustração. Quanto mais se sabe, mais se descobre que não se sabe.

Recomendações para dominar essa frustração:

  • Foco
  • Definição de metas claras
  • Controle do tempo
  • Networking
  • Diferenciação
  • Acompanhamento da tecnologia

Ser tradutor é fascinante e desafiador, pois é uma atividade complexa e técnica. A valorização é necessária e já está a caminho.

Juntos, somos mais fortes!

Você também assistiu à palestra? Gostaria de adicionar algo? Caso não tenha assistido, também é bem-vindo para comentar. 😉

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s