Guest post: Dubbing GoT (in Portuguese)

Here we are again, with another guest on our series. The topic today is dubbing, by Dilma Machado.

Welcome, Dilma!

Dublagem de Game of Thrones

Falando um pouco sobre mim

Comecei como atriz com a comédia musical Vida e morte Cidelinda, em Goiânia, em 1985, pois sou bailarina profissional em contemporâneo (tenho graduação em Educação Física) e também canto. Em 1986, me mudei para o Rio de Janeiro, onde fiz um pequeno papel na novela Hipertensão (Rede Globo) e várias peças infantis pela companhia Rick Walker que já não existe mais. Em 1987, comecei a dar aulas de inglês no curso Brasas onde fiquei até 1995, ainda fazendo peças infantis, mas depois parei por causa de minha gravidez. Foi então que resolvi fazer o curso de dublagem com o ator/dublador Alexandre Lippiani e me aperfeiçoei mais ainda com Newton DaMatta. Comecei a dublar, mas com a tradução envolvida, tive de me dividir entre as duas tarefas, me dedicando mais à tradução, mas dublar é uma paixão. Dublo sempre que me escalam.

Em 1997, comecei a traduzir para dublagem por acaso. Fui à Cinevídeo para me apresentar como “aspirante” a dubladora e, por acaso, comentei que fazia tradução, quando, na verdade, só tinha feito o curso de tradução do IBEU. Três dias depois, recebi meu primeiro trabalho. Como não existia nenhum curso de tradução para dublagem, tive de ser autodidata, mas o tempo e a curiosidade me fizeram especializar em tradução e ter uma formação acadêmica.

Já traduzi mais de 350 títulos, entre séries, filmes, desenhos e documentários nesses 18 anos de profissão. Entre eles:

Séries: White Collar, Desperate Housewives, In Plain Sight, Regular Show, Gumball, Zack and Cody, Game of Thrones, Horrible Histories.

Alguns filmes/documentários: Era do Gelo 3, Tom and Jerry’s Giant Adventure, The cabin in the woods, Fall to Grace, Game Changed, The last campaign e acabei de traduzir e ser assistente de direção do filme Festa no céu, que estreia em outubro nos cinemas, dublando também em uma pequena participação.

Embora o tradutor de séries, filmes e documentários para dublagem não precise necessariamente ser dublador, é essencial que ele faça um curso de dublagem para aprender melhor o processo que acontece no estúdio; com isso, a tradução melhora muito. E ainda sugiro que façam um curso de tradução para legendagem que ajuda a resumir as falas mais rápidas. Tudo é importante para ser um tradutor de dublagem mais completo.

Game of Thrones

Eu já estava traduzindo para a MG Estúdios quando entraram em contato falando da série e se eu gostaria de traduzi-la. Não fazia ideia do que era, então logicamente corri para a internet para me inteirar do assunto.

Eu nem sabia da existência dos livros. Só fiquei sabendo depois de já ter entregado dois episódios e, com isso, houve até um conflito na tradução do “Hand of the king” que, na legenda e no livro ficou “Mão do rei” e na dublagem ficou “Conselheiro do rei”. Eu pedi para trocar, mas a HBO não aceitou e disse que era para manter do jeito que estava. Até concordo, porque a dublagem já estava feita e ficaria estranho mudar um termo de uma hora para a outra.

O livro para mim serve apenas como um guia, mas não uma cópia. Primeiro por causa de direitos autorais e segundo porque são trabalhos diferentes, os diálogos são diferentes. Faço a minha tradução e procuro manter os nomes dos personagens e locais iguais aos do livro, mas nem todos. Um exemplo é “King’s landing” que mantive no original e no livro ficou “Porto Real”. Devo esclarecer que existe uma aprovação do meu trabalho pela HBO, além da interferência do diretor de dublagem que também muda algumas coisas em estúdio. O resultado final da dublagem não é só meu, tem a ajuda do diretor e até mesmo dos dubladores.

Como a série tem sido exibida simultaneamente no mundo inteiro, tenho pouquíssimo tempo para traduzir. Geralmente, depois que recebo o script e o vídeo, entrego o episódio em dois dias. Mas esse tempo não é em relação à exibição, pois a tradução é apenas o primeiro passo até o episódio chegar às telas. Tem todo o processo de produção envolvido: tradutor (tradução, marcação de entrada de todas as falas, adaptação); diretor (marcação de loops, escalação dos dubladores, direção de dublagem); dubladores e operadores; edição, aprovação do cliente (pois pode haver retakes) e, finalmente, a exibição.

Não só em GoT como em todas as séries que faço, eu crio um glossário. A maioria dos tradutores que conheço não o faz e isso é um crime, na minha opinião. Cada um é cada um, mas meus alunos aprendem comigo que o glossário é importante!

A maior dificuldade em traduzir a série é nas partes que não estão no script e você tem de fazer de ouvido. Os scripts são incompletos, pois são de pré-produção, então é preciso muita pesquisa para não traduzir errado. O maior problema são os nomes de locais ou pessoas que ainda não tinham aparecido e, de repente, aparecem, então pesquiso até encontrar o nome certo. No entanto, a série exige pesquisa, seja no livro ou na internet, o tempo todo.

Quanto ao uso de palavrões e de linguagem obscena presente no original, normalmente não reproduzidos pela dublagem brasileira, ele não é censurado pela HBO devido ao horário de exibição. Portanto, temos a obrigação de colocar todos os palavrões traduzidos sem pensar duas vezes. Daí a série passar tão tarde.

A dublagem de GoT é apontada como uma das melhores dublagens da atualidade. Sempre digo que o trabalho de dublagem é um trabalho em equipe e essa equipe precisa estar unida. A tradução é o alicerce da obra, se ela é bem feita, a construção será forte e o resultado final será magnífico!

Thanks for telling us a bit more about dubbing, Dilma! I’m sure GoT fans will love your post!

About the author
Dilma4Dilma Machado é tradutora/dubladora/cantora/professora de inglês. Especialista em tradução inglês/português pela PUC-Rio. Dedica-se há 18 anos aos serviços de tradução e dublagem para as empresas: Doublesound, Cinevídeo, MG estúdios, Som de Vera Cruz, Gigavoxx e Bravo. Já prestou serviços para várias outras empresas como: Delart, Drei Marc, Herbert Richers, Dublamix. The Kitchen e Gemini Media. Tradutora de livros para Ed. Rocco e Ed. Fundamento. Associada da ABRATES. Professora do curso “Técnicas de Tradução para Dublagem” na PUC-RJ e no Aulavox (online).

Advertisements

3 thoughts on “Guest post: Dubbing GoT (in Portuguese)

  1. A Carol está certa! Eu, como fã de GoT, ADOREI esse post! Magnífico o seu trabalho, Dilma! Obrigada por nos contar um pouco sobre ele! 🙂

    Like

  2. Eu que agradeço, Carolina Ventura! Ano que vem tem mais. A quinta temporada estreia em Abril. de acordo com as notícias que ouvir na TV em Portugal. Devo começar as traduções em fevereiro. 🙂

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s