Não espere que as coisas caiam do céu. Vá à luta e corra atrás delas!

Let’s start the last week of October with a new translation from English into Brazilian Portuguese by Esther Dodo, our frequent contributor to translating the blog posts. This time, the post Don’t wait for things to fall from the sky. Go and get it! was the chosen one. Enjoy!

picjumbo.com_IMG_1275

Esta publicação sobre a importância de ter ou não formação acadêmica suscitou um saudável debate sobre a relevância de ter um curso superior em tradução ou não e, consequentemente, o que os cursos universitários estão deixando a desejar. Portanto, desta vez, decidi falar sobre essa “lacuna”.

Lembro-me bem do meu primeiro projeto. Foi para uma agência de tradução, era uma apresentação em PowerPoint. Como era iniciante, eu ainda não tinha nenhuma ferramenta CAT, portanto, além de traduzir, tive que arrumar a formatação. Sejamos realistas: o PowerPoint não é o melhor amigo do tradutor, principalmente quando o coitado (o tradutor, quero dizer) é totalmente inexperiente.

Entretanto, até aqui, tudo estava indo bem.

O problema é que havia imagens não editáveis no arquivo. Entrei em pânico. O prazo de entrega era curto, foi durante um final de semana, e eu não tinha a mínima ideia de como traduzir aquelas imagens! Eu não sabia o que fazer. Não era possível entrar em contato com ninguém da agência para pedir ajuda, pois era sábado à noite. Acabei inserindo a tradução sobre a imagem.

Resumo da história: o projeto voltou porque eu obviamente não sabia (e como deveria saber?) que as imagens não editáveis deveriam ser traduzidas nos comentários. Naquela ocasião, foi exatamente isso que pensei: “Como eu deveria saber? Ninguém nunca me falou a respeito disso!”

É isso mesmo, o bacharelado e o mestrado em tradução não ensinarão os aspectos práticos necessários para quando você estiver trabalhando como tradutor.

Seria isso um problema? Seria isso algo que os cursos carecem? Não tenho certeza.

Normalmente, os professores universitários são acadêmicos, pesquisadores, não tradutores profissionais. As aulas são práticas e teóricas, mas não direcionadas ao ato tradutório em si. Você traduz e, no máximo, aprende uma coisa ou outra sobre essa ou aquela ferramenta CAT. Nada mais. Você não aprende sobre gerenciamento de projetos e como lidar com eles, não aprende nada sobre contabilidade, muito menos sobre branding/publicidade.

Como aprendemos sobre tudo isso? Praticando. Ou participando de aulas extracurriculares, cursos, congressos, eventos, palestras, lendo blogs, participando de grupos profissionais, perguntando, pesquisando, etc. Em outras palavras, buscando por si próprio, não esperando que as coisas caiam do céu.

Isso não é algo complicado. Na verdade, a internet faz com que tudo seja muito simples. Você só precisa estar disposto a dedicar um tempo para as mídias sociais.

Aqui estão algumas dicas sobre como aprender a fazer isso:

  • Siga as pessoas (tradutores, agências, empresas) nas mídias sociais (Facebook, Twitter, Google+, LinkedIn, etc). Também há grupos específicos para tradutores no Facebook dos quais você pode participar. Eles oferecem boas dicas e discussões, além de permitir que você faça suas próprias perguntas para os outros membros.
  • Siga blogs de tradutores. Você encontrará todos os tipos de informações úteis em publicações de blogs.
  • Participe de eventos de tradução, como congressos, simpósios, etc. As mídias sociais podem ajudá-lo a se atualizar com os eventos que serão realizados próximos de você.
  • Aproveite seu curso ao máximo. Veja se sua universidade oferece atividades extracurriculares que possam lhe interessar.
  • Por último, mas não menos importante, interaja com pessoas, crie redes de contatos. Faça perguntas quando tiver alguma dúvida. Sempre tente aprender com a experiência dos outros.

Na verdade, seria perfeito se as universidades oferecessem palestras práticas sobre como administrar o nosso trabalho e como lidar com clientes, ou se houvesse uma especialização em gerenciamento na área tradutória. Mas como esse não é o caso (ainda?), temos que fazer a nossa parte e tentar buscar as respostas por conta própria.

Artigo relacionado:
Story of a Translator Student: You are in ControlofYour Life

Qual é sua opinião sobre esse assunto?

Thanks for another great contribution to our blog, Esther! Looking forward to your other translations. 🙂

About the translator
Esther PicEsther Dodo é paulistana, formada em Administração de Empresas, tradutora freelancer e, atualmente, está prestes a obter certificação como tradutora no par inglês-português na New York University (NYU). Reside nos EUA desde 2001. Entre em contato com ela peloLinkedIn e pelo Facebook.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s