Guest post: Technical translation (in Portuguese)

Welcome back to our series of guest posts! Today’s guest is Melissa Harkin, Brazilian translator, who wrote about technical translation and the difficulty in finding good translators.

Welcome, Melissa!

words

 

O mercado de traduções técnicas e a escassez de bons profissionais

O tradutor é um profissional que carrega grande responsabilidade. Uma única palavra errada ou fora de contexto pode ter consequências desastrosas. 

A mesma responsabilidade reside com o cliente em relação à necessidade de contratar um tradutor profissional e competente, fornecer material completo e preciso para a tradução, obedecer ao prazo dado pelo tradutor (ao invés de pressioná-lo para entregar antes do prazo acordado) e trabalhar em parceria com o tradutor contratado no que diz respeito a terminologias técnicas, tom de voz do texto e perspectivas culturais da linguagem. 

Estes aspectos ficam ainda mais evidenciados quando o texto é técnico. Manuais de operação, relatórios médicos, estudos de impactos ambientais e sociais, procedimentos de segurança e outros tantos tipos de documentação técnica não podem, de forma alguma, conter erros. 

A tradução técnica é conhecida por ser um dos mais difíceis tipos de tradução escrita. O tradutor tem de dominar a difícil tarefa de traduzir o texto técnico com habilidade e de forma correta para não perder o significado de uma palavra ou expressão, não alterar o contexto e nem cometer erros que podem levar não só a danos aos equipamentos, como também colocar em perigo a saúde ou mesmo a vida de outras pessoas. 

Não é necessário ser engenheiro ou médico para traduzir determinados conteúdos, mas é necessário conhecer e entender o assunto a ser traduzido. 

O tradutor não deve aceitar traduzir tudo o que aparecer pela frente. Ele só deve traduzir um texto médico, por exemplo, se realmente entender e/ou conhecer o assunto. O mesmo vale para outros tipos de conteúdos técnicos. 

A palavra de 71 milhões de dólares – Em 1980, Willie Ramirez, então com 18 anos de idade, foi internado em um hospital da Flórida em coma. Seus amigos e familiares tentaram descrever sua condição para os paramédicos e médicos, mas eles só falavam espanhol. A tradução (interpretação) foi realizada por um membro da equipe médica que era bilíngue e traduziu “intoxicado” como “intoxicated”. Um intérprete profissional saberia que “intoxicado” assemelha-se mais com “envenenado”, e não apresenta conotações de uso de drogas ou álcool que a palavra “intoxicated” carrega. A família de Ramirez acreditava que ele estava sofrendo de uma intoxicação alimentar. Ele estava na verdade sofrendo de uma hemorragia intracerebral, mas os médicos procederam como se ele estivesse sofrendo de uma overdose intencional de drogas – quadro que pode apresentar alguns dos sintomas do paciente na ocasião. Por causa da demora no atendimento, Ramirez ficou tetraplégico. Ele recebeu uma indenização por imperícia médica no valor de 71 milhões de dólares. 

Já é difícil achar bons tradutores no mercado, afinal, não basta ser bilíngue para saber traduzir. Mas encontrar [bons] tradutores técnicos é ainda mais complicado.

O tradutor técnico é aquele que trabalha com conteúdos científicos, de tecnologia ou engenharia. Ele precisa não somente conhecer e entender o assunto a ser traduzido como também, muitas vezes, ter a habilidade de escrever de diferentes formas, usando um tom de voz mais acadêmico ou uma escrita mais parecida com a de manuais. 

Há uma verdadeira escassez desses profissionais no mercado de tradução. E isso faz com que cada vez mais conteúdos sejam traduzidos por pessoas sem o devido domínio e/ou conhecimento do assunto. 

Mas também não basta o tradutor técnico ser proficiente nos idiomas que traduz e conhecer o assunto a ser traduzido. Ele precisa buscar o desenvolvimento e aperfeiçoamento contínuos, mantendo-se atualizado nos conteúdos e inovações técnicas das áreas de conhecimento que traduz através de jornais, revistas, cursos, palestras e visitas técnicas. 

O cliente, por sua vez, precisa conhecer o histórico profissional do tradutor para ter certeza de que o profissional escolhido é realmente o mais indicado para traduzir seu conteúdo.

Thanks a lot, Melissa, for accepting my invitation and taking the time to write such a great piece! It was a real pleasure to feature you on our guest series. 🙂

Please feel free to comment or ask her anything. 😉

About the author
melissa-harkinBacharel em Direito e pós-graduada em Gestão Estratégica (MBA) pela FMU, Melissa Harkin trabalha como tradutora desde 1997, tendo também atuado por vários anos em outros mercados (Óleo e Gás, Aviação, Farmacêutico, RH, Construção, Energia e Meio Ambiente) antes de se dedicar em tempo integral à Tradução.
Melissa é membro da American Translators Association (ATA) – a maior associação profissional de tradutores e intérpretes nos Estados Unidos, e é filiada à Federação Internacional de Tradutores (FIT), com mais de 10.000 membros em 90 países.
www.melissaharkin.com

Advertisements

4 thoughts on “Guest post: Technical translation (in Portuguese)

  1. Há tradutores competentes que gostam da profissão e do trabalho bem feito, coisa accessível após anos de estudo e experiência e constante aperfeiçoamento.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s